Archive for Ciência

Medicina ortomolecular

A medicina ortomolecular cada vez mais se tornando uma alternativa terapêutica selecionada para tratamento das mais diversas patologias, não somente pelos especialistas, com também por uma parcela significativa da população.

No entanto, muitas pessoas ainda têm dúvida sobre a eficiência da medicina ortomolecular e de seus princípios científicos e forma de atuação no organismo humano. Nesse texto procuraremos analisar de forma clara e objetiva como esse tratamento pode ser benéfico aos indivíduos.

Princípios que identificam a medicina ortomolecular

A medicina ortomolecular é uma especialidade médica, que utiliza de substâncias naturalmente encontradas no corpo humano, em especial os nutrientes, para a manutenção da saúde e tratamento das enfermidades.

Descoberta pelo cientista Linus Pauling, a medicina ortomolecular se fundamentou em grande número de pesquisas nas ciências clássicas e nos sintomas clínicos. A nutrição, que tem sido uma ciência que age em conjunto com a medicina em muitos processos, está no centro dessa nova especialidade.

Bases científicas da medicina ortomolecular

A medicina ortomolecular, enquanto especialidade médica apresenta seus fundamentos básicos da ciência da nutrição clínica e da bioquímica. Porem não somente nas duas ciências, pois toda a prática ortomolecular encontra-se apoiada na evolução de outras ciências como bioquímica, biofísica, fisiologia, psicofisiologia e ecologia.

O tratamento medicamentoso ou farmacológico não é evitado, porém na medicina ortomolecular existe um reconhecimento das limitações do tratamento com medicações devido a algumas apresentarem certo tipo de potencial de toxicidade.

Nesse aspecto o tratamento realizado com a medicina ortomolecular oferece mais opções de benefícios para os pacientes com menor risco de efeitos colaterais.

Princípios que norteiam a medicina ortomolecular

– A medicina ortomolecular deve ser realizada em primeiro lugar para diagnóstico e tratamento médico, pelo conhecimento do uso seguro e efetivo de substâncias como hormônios, antígenos, enzimas, nutrientes, anticorpos entre outras substâncias presentes naturalmente no corpo humano, e que são importantes para garantir uma boa assistência ao paciente.

– A medicina ortomolecular apresenta um potencial de toxicidade considerado baixo. Os medicamentos farmacológicos sempre apresentam um risco maior e, portanto, deve ser considerado como uma segunda opção, somente em casos onde a terapêutica ortomolecular não é indicada por algum motivo específico.

– Esse tipo de medicina considera que os exames laboratoriais nem sempre refletem com precisão alguns dados necessários em um tratamento ortomolecular. Por exemplo, os exames laboratoriais às vezes não especificam a quantidade de nutrientes presentes em um órgão. Por isso na medicina ortomolecular os que são mais utilizados são a titulação de tentativa e a dose terapêutica, que é frequentemente o teste mais utilizado e mais eficiente nos resultados.

– A individualidade bioquímica é algo muito levado em consideração na medicina ortomolecular. Devido a essa concepção, a procura pela quantidade necessária de nutrientes para cada indivíduo, é algo extremamente relevante. Doses maiores do que as normais de nutrientes, geralmente são eficazes, mas isso só pode ser comprovado por meio de tentativa em uma terapia específica. Nos casos que não respondem aos tratamentos convencionais de maneira satisfatória, a titulação da dose pode ser utilizada.

– Ter uma saúde perfeita é um grande desafio da medicina. As mudanças bioquímicas necessárias como prescrições da medicina ortomolecular precisam ser realizadas associadas a acompanhamentos médicos, através da repetição dos testes e de pesquisas laboratoriais que possam permitir o ajuste em cada receita, e proporcionar uma melhor qualidade de vida e saúde aos indivíduos.

Por Salete Dias

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Medicina natural


A medicina natural também conhecida no passado como naturopatia, apesar de não ser ainda muito conhecida por uma grande parte da população mundial, já tinha sua base filosófica desde a época de Hipócrates há cerca de quatrocentos anos antes de Cristo.

Vejamos nesse artigo, a definição de medicina natural e como ela pode atuar no organismo humano.

Definição de medicina natural

De acordo com pesquisas históricas foi o pai da medicina Hipócrates, que foi considerado, o primeiro médico naturista, pois sua atuação era baseada na cura de seus pacientes através da cominação dos métodos que promoviam a higiene e através da hidroterapia.

A filosofia da medicina natural considera a vida das pessoas como um processo muito mais amplo do que a soma dos processos bioquímicos que ocorrem no organismo dos seres humanos, e acredita que o corpo humano possui um instinto inato que sempre se esforça para alcançar a saúde.

Esse processo natural de cura de enfermidades é baseado no retorno à natureza, através da regulação nutricional, dos processos respiratórios, das atividades físicas, das terapias realizadas com água, enfim todo esforço realizado para eliminar as substâncias nocivas ao organismo, e desse modo promover à saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.

Princípios básicos da medicina natural

De acordo com especialistas em medicina natural, alguns dos princípios básicos da medicina natural seriam:

– Tentativa de eliminar os maus hábitos que fazem parte da vida da grande maioria dos indivíduos, como por exemplo: consumo excessivo de alimentos, ingestão de carnes vermelhas, uso abusivo de medicamentos, horários inadequados para fazer refeições, vida cheia de problemas e preocupações, entre outros.

– Em contrapartida, existem os chamados hábitos corretores que incluiriam respirar de modo adequado, praticar atividades físicas, possuir uma atitude mental positiva diante dos problemas da vida, buscar com moderação a melhora das condições financeiras e, procurar estar sempre saudável.

– Adquirir novos hábitos e comportamentos de vida como, por exemplo: selecionar melhor os alimentos que consome e, se possível utilizar a água como processo terapêutico, como no caso da hidroterapia, procurar respirar sempre que possível ar puro, aproveitar os benefícios da luz do sol entre outros exemplos.

Principais diferenças entre a medicina natural e a convencional

– Enquanto a medicina natural é um processo integral que se preocupa com o paciente como uma totalidade, a medicina convencional trata partes isoladas do corpo do indivíduo.

– Na medicina natural não há a preocupação de eliminar somente os sintomas, mas principalmente a causa da enfermidade, enquanto na convencional se trata em geral os sintomas, e depois tenta se procurar a origem da doença.

– A medicina natural entende que dor e a enfermidade são maneiras de se obter informações sobre a origem do desequilíbrio orgânico que provocou a doença. O corpo não é visto somente como uma máquina, mas, sim como um sistema dinâmico cuja mente e corpo interagem entre si.

– Na medicina natural a enfermidade causada por um desequilíbrio orgânico é considerada como todo um processo cujo objetivo é chegar ao equilíbrio corporal.

– Para a medicina natural corpo e a mente são estruturas inseparáveis, daí vem a origem das doenças psicossomáticas.

Por Salete Dias

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Por que as pessoas mentem

Quem nunca mentiu na vida? A resposta a essa pergunta deve ser verdadeira e livre de qualquer tipo de preconceito. Afinal de uma maneira ou de outra, todas as pessoas já contaram alguma mentira, nem que tenha sido para serem gentis e educadas, ou então para tentarem salvar alguém de uma situação constrangedora. Mas, como saber qual o limite entre uma grande mentira contada que possa prejudicar outro indivíduo, e uma mentira contada somente para auxiliar alguém em um momento difícil? É possível entender por que as pessoas mentem e assim melhor analisar as razões da mentira contada? É o que iremos analisar nesse artigo.

Sutis diferenças entre mentira e falta de sinceridade

Existe uma sutil diferença entre contar uma grande mentira e não ser totalmente sincero. No primeiro caso, pode haver vários problemas de ordem emocional e de caráter envolvidos, enquanto no segundo, talvez a situação que a pessoa esteja vivenciando é que a faça não contar a verdade. De uma maneira geral, os indivíduos costumam mentir por não acreditar que as outras pessoas de seu convívio não irão amá-los e aceitá-los como na verdade realmente são.

Normalmente as pessoas que mentem muito cresceram em um ambiente familiar no qual não tiveram oportunidade de se expressarem de maneira que pudessem ser aceitos pelos seus próprios méritos. Isso explica o motivo de determinados indivíduos mentirem sem razão aparente sobre sua condição financeira ou seu modo de vida. Essas pessoas tentam passar a todo momento a impressão de que são mais importantes do que na verdade são, pois no fundo se sentem inferiores aos outros no meio social do qual fazem parte.

Quando mentir se torna um hábito

Na sociedade moderna na qual as pessoas têm de se relacionar de modo positivo tanto com os indivíduos de seu convívio social, quanto de seu ambiente profissional, às vezes contar pequenas mentiras por educação e gentileza pode ser até considerado como um comportamento normal. Porém existe o mentiroso compulsório, que sem motivo algum costuma mentir, inclusive com a intenção de prejudicar alguém.

Nesse caso, pode haver uma falha grave de caráter do indivíduo cujo convívio poderá ser prejudicial às outras pessoas que estiverem em sua volta. Em outras situações o mentiroso contumaz pode na verdade ser portador de algum tipo de patologia psíquica, e as mentiras constantes podem fazer parte dos sintomas que se apresentam para o indivíduo como delírios de sua mente.

As crianças costumam mentir?

De acordo com especialistas na área de educação infantil, as crianças não mentem e sim fantasiam sobre determinados fatos que julgam serem verdadeiros. Até uma determinada idade, esse comportamento pode ser considerado normal, porém os pais devem ficar atentos e verificar se essa fase se prolonga para que, orientados por especialistas, possam aprender a lidar com essa situação.

É sempre importante ressaltar que os filhos costumam repetir as atitudes da mãe e do pai, por isso se os responsáveis possuem o hábito de contar mentiras não devem esperar um comportamento diferente por parte das crianças.

Por que as pessoas mentem?

Considerações finais

Entender o motivo por que mentem pode ser o primeiro passo para as pessoas mudarem esse tipo de comportamento, e se tornarem sinceras com as outras e com elas próprias.

Por Salete Dias

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Células-tronco

Nunca se ouviu falar tanto em células-tronco como nos dias atuais. Incialmente esses tipos de células foram utilizadas em experimentos que visavam entender como sua propriedade de gerar cópias perfeitamente iguais a si próprias, poderia contribuir na substituição por outras células lesadas no organismo humano. Atualmente, com a realização de várias pesquisas científicas se constituiu para muitos indivíduos portadores de diversos tipos de patologias, como uma esperança na cura ou amenização dos sintomas dessas enfermidades.

Entendendo o que são células-tronco

As células que são encontradas em embriões humanos mais especificamente no cordão umbilical são chamadas de células-tronco, e contrariamente a outras células que formam o organismo dos seres humanos, elas têm a capacidade extraordinária de se transformar, originando desse modo, uma grande variedade de tecidos diferentes no corpo dos indivíduos. As células-tronco possuem como principal característica a propriedade de originar cópias iguais a elas próprias, capacidade conhecida no meio científico como autorreplicação.

Objetivos das Pesquisas Realizadas com as Células-tronco

Os cientistas vêm ao longo dos anos estudando as características principais das células-tronco, na esperança de poder utilizá-las paraa cura ou amenização dos sintomas de diversas patologias que acometem o organismo dos seres humanos. Essas células podem ser usadas para substituir outras que o corpo não produz mais por estarem lesionadas devido a algum fator. Dentre as principais enfermidades nas quais as células-tronco vêm sendo estudadas e utilizadas como tratamento, ou até mesmo na esperança da cura total são: Esclerose múltipla, infarto, diabetes, mal de Alzheimer, mal de Parkinson e distrofias musculares. Para que consigam realizar esse procedimento, os cientistas fazem o mesmo processo que usam no transplante da medula óssea para curar os pacientes portadores de leucemia.

Por que as células embrionárias são utilizadas?

Segundo os pesquisadores de células-tronco, de todas as células que formam os duzentos e dezesseis tecidos doorganismo dos seres humanos, somente as células dos embriões teriam acapacidade de se autorreplicarem nas outras existentes no corpo. Em contrapartida as células encontradas nos adultos só conseguem se diferenciar em um número bastante restrito. Um exemplo clássico são as células da medula óssea do indivíduo que só conseguem formar os linfócitos e glóbulos vermelhos.

Pesquisas recentes envolvendo as células-tronco

Como os resultados animadores que os cientistas tiveram atéopresente momento com os experimentos realizados com as células-tronco, eles passaram a realizar mais estudos científicos na esperança de conseguirem identificar cada vez mais os benefícios desses tipos de células para o organismo humano. Um exemplo clássico são as pesquisas feitas nos portadores de leucemia, ou outras patologias que acometam o sistema sanguíneo do indivíduo, e que os especialistas já são unânimes em informar que em longo prazo poderá haver um tratamento especifico possível com a utilização das células-tronco.

No entanto, vale ressaltarque muitos experimentos estão ainda no estágio de testagem, mas os pesquisadores já vislumbram resultados promissores para um futuro bem próximo. Um exemplo é o estudo sobre o desenvolvimento de determinados tipos de tumores, experimentos realizados em cobaias. Outras enfermidades como lesões na medula, cardiopatias, artrites, esclerose múltipla, e diabetes do tipo 1, também vêm sendo testadas com o objetivo de promover nos seus portadores senão a cura total, uma melhor qualidade de vida.

Por Salete Dias

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Exames Com Tecnologia da NASA

Exames Com Tecnologia da NASA

Alta Tecnologia

De acordo com especialistas em medicina diagnóstica, os exames realizados nos pacientes para identificar as possíveis enfermidades serão feitos com a mesma tecnologia utilizada na NASA (Agência Espacial Americana), o que vai facilitar muito a visualização das imagens das áreas do corpo do paciente que se quer investigar, evitando que a pessoa tenha de fazer exames mais caros como a ressonância magnética, por exemplo.

Sistema Inovador

Os profissionais especializados da Agência Espacial Americana(NASA) utilizando uma alta tecnologia disponível, aplicaram à medicina diagnóstica com a finalidade de elaborar um procedimento que vai auxiliar na interpretação mais precisa  dos exames solicitados pelos médicos. A importância desse sistema está no fato de conseguir fazer um diagnóstico exato de enfermidades como os tumores cancerígenos, por exemplo.

Uma empresa norte-americana fabricou esse sistema que recebeu a nomenclatura de MED-SEG cuja construção foi baseada em um software de computador que já havia  sido desenvolvido pela Agência Espacial Americana. A importância do MED-SEG está no fato de que os profissionais da área médica poderão analisar com mais clareza exames como ultrassonografias, raios X digitais e mamografias, que são muito importantes para a identificação de vários tipos de patologias que podem trazer riscos à saúde do paciente.

Como o MED-SEG Atua

Segundo os pesquisadores que desenvolveram o sistema MED-SEG para auxiliar os médicos a fazer diagnósticos mais precisos, e o equipamento foi desenvolvido através da incorporação de um software de computador da própria NASA. Segundo relato do engenheiro da NASA que desenvolveu o sistema e que  trabalhou nesse projeto científico por mais de vinte e cinco anos o objetivo principal era melhorar as imagens digitais que são enviadas pelos satélites para que elas possam ser analisadas com bastante clareza e precisão, levando a um diagnóstico mais  preciso da enfermidade  que acometeu o indivíduo.

Esse sistema desenvolvido permite  recepção de dados de várias fontes bem como de imagens e depois disso tem a capacidade de processar todos essas informações e imagens e armazená-las. Desse modo ocorre uma rápida transferência  de informações sobre saúde entre as unidades médicas que participam desse sistema, tendo como consequência a economia monetária e principalmente de tempo, que já é tão escasso na comunidade médica.

Opinião de Especialistas

Os especialistas na área de medicina diagnóstica informam que com  a utilização da tecnologia do sistema MED-SEG os possíveis erros cometidos ao se analisar uma imagem radiológica poderia ser bastante reduzido, permitindo uma diagnóstico mais rápido e eficiente das áreas afetadas por alguma enfermidade no corpo humano. Vale ressaltar que o sistema deverá ser utilizado pelos especialistas em testes clínicos, com a expectativa de através dele  haja mais facilidade do que o exame de  mamografia na identificação de tumores de mama, já que esse processo permite ao profissional médico visualizar mais detalhes que poderão servir para uma identificação mais segura das doenças.

Por Salete Dias

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quem está cuidando dos nossos animais?

É incrível como nos achamos tão “humanos”, tão “racionais”, mas nos descuidamos quanto aos outros “vizinhos de planeta”. O mundo é muito grande, é vero, mas já o tornamos pequeno demais para que todos possam viver harmoniosamente. Desmatamentos, queimadas, caça predatória, criação clandestina de animais silvestres, caça ilegal e tantas outras coisas que é melhor nem comentarmos!

Quando crianças, pensamos que podemos “salvar o mundo”. Quando jovens, nós queremos “mudar o mundo”. Crescemos, continuamos a ver as mesmas atrocidades acontecendo dia e noite e… quem mais está se importando com o que acontece? “Se não é comigo, não há problemas, deixa acontecer, não vai mudar a minha vida mesmo!” é o que muitas vezes pensamos. O que esquecemos é que estamos falando de um mundo gigante e que todos fazemos parte de um ecossistema e que, se em alguma parte ele for afetado, todos sofrem as conseqüências.

Fauna e flora brasileira já foram muito castigadas por nossas mãos. Belíssimas aves e demais espécimes que outrora povoavam diversas regiões, principalmente as áreas florestais, hoje estão extintas em ou em extinção. Mas por que falarmos somente de Brasil quando este é um problema a nível mundial?

Comentamos muito sobre tais crimes no Brasil como se somente aqui acontecessem, mas muitos desses crimes também acontecem em vários outros países e, para piorar, geralmente tais atrocidades são financiadas por países economicamente desenvolvidos, ou “economicamente estáveis”, como poderíamos chamá-los, antes de toda essa crise na economia americana que levou a um desequilíbrio na economia de outros países. Bem, mas enfim, hoje não vamos falar de economia ou finanças, mas sim de meio ambiente.

E o meio ambiente já está bastante “abatido”, “fraco”. Tão incapacitado ele está, que poderíamos chamá-lo de “um quarto” ou talvez “um quinto” do ambiente. Desculpe-me o trocadilho sem graça, mas é a mais pura verdade.

E não adianta discutirmos tanto e não pensarmos em soluções, não é? Então, como nós podemos reverter esse quadro?

Bem, Giga Mundo “caiu em campo” e traz a você algumas das alternativas para reverter esse quadro. Sabemos que uma pessoa sozinha não pode implantar todas elas, mas cada qual fazendo um pouco da sua parte… quem sabe? 😉

Denuncie!

Há muitas outras coisas que podemos fazer e que surtirão melhor efeito a longo prazo, mas a situação está tão caótica que não basta só “pensar no amanhã”, temos que “agir hoje”, então a melhor alternativa é esta: denuncie qualquer tipo de abuso, exploração ou atrocidade contra animais!

Se cada qual denunciar o que vê acontecendo errado, quem sabe não conseguimos reduzir os atuais números? Muitos podem dizer: não adianta, isso é só enrolação. Bem, a nossa parte é denunciar, a deles é cuidar para que cada reclamação seja acurada e alguma medida seja tomada. Façamos a nossa e esperemos que quem cuida das denúncias também faça a dele, não?

Lembre-se que aquilo que é feito a algum animal poderia estar sendo feito a você. Gostaria de ser amarrado, ferido, enjaulado, exportado, maltratado, castrado e submetido a tantas outras coisas contra a sua vontade? Não? Então por que ser cúmplice de quem o faz?

Denuncie quem cria animais silvestres, quem trafica animais e quem lucra com esse tráfico. Lembrando que você deve buscar fazer a denúncia de forma anônima (muitos dos serviços de atendimento de denúncia garantem o sigilo, mas é bom certificar-se, para não ter problemas mais tarde, ok? ).

Novas formas de renda à população envolvida

Dependendo de onde é vendido, um filhote de papagaio pode custar de R$ 50,00 a R$ 150,00. Sabe quanto a pessoa que captura os filhotes ou ovos (que geralmente são pessoas de comunidade pobre próximas aonde vivem essas aves) ganham? Não mais que R$ 2,00 ou R$ 3,00 por cada um desses animais.

Por que são “tão caros” (entre aspas, pois a vida não tem preço)? A cada doze aves, nove delas morrem durante o transporte devido aos maus-tratos, drogas injetadas (os traficantes drogam as aves para que elas “mantenham-se calmas” durante o transporte) ou outras intempéries. Das três sobreviventes, poucas são as chances delas se adaptarem ao novo “estilo de vida”.

Mas enfim, aquelas pessoas “lá na ponta”, que cuidam da captura do animal, somente o fazem por não ter outra opção de renda. Se conseguíssemos mais oportunidades para tais pessoas, provavelmente teríamos reduções nesses números.

Então, se você possui uma ONG ou mesmo uma empresa e quer promover algum tipo de atividade que possa envolver tais comunidades e garantir-lhes um meio de vida mais digno, sinta-se à vontade, o planeta agradece! :)

Educação é Conscientização

Educar é sempre a melhor forma de preparar um futuro melhor, quero dizer, se nossas crianças e adolescentes aprenderem REALMENTE quão importante é proteger nossa fauna e flora e o papel de cada ser vivo nela, teremos mais pessoas “do nosso lado” nesta guerra em prol dos animais.

Uma coisa que aprendi é que nós somente temos ou ignoramos o que desconhecemos. A partir do momento em que temos a exata noção do que e por que está acontecendo, devemos tomar uma postura e agir – não dá mais para manter-nos “neutros”, indiferentes.

E o melhor de tudo é que este trabalho pode ser desempenhado por qualquer um, em qualquer idade. Em sua casa, na escola, no local de trabalho ou até mesmo na Internet conversando com amigos, qualquer lugar e hora são ótimos para falar a respeito da necessidade de proteger a vida de todos os seres vivos.

E… onde obter mais informações?

Esta é uma excelente pergunta e merece uma excelente resposta para que nosso trabalho não seja interrompido justamente por falta de mais informações. Não sei se sou capaz de oferecer uma excelente resposta, mas vou deixar aqui aquela de que disponho.

Há muitos livros, organizações e sites em que você pode aprender mais. O IBAMA, por exemplo, é um excelente ponto de partida, uma vez que ele é responsável pela proteção de toda a fauna e flora brasileira. Procure informar-se sobre a sede mais próxima de sua residência (se houver em sua cidade) e dê um pulinho lá. Eles vão adorar conversar com você, principalmente se você estiver indo com o interesse de divulgar mais sobre o assunto em sua escola. :)

Se quiser procurar na Internet, alguns sites que podemos sugerir são:

Guia de defesa dos animais

Sentiens – Defesa animal

Bem, sei que o artigo que lhes apresento hoje não irá mudar o mundo. Mas quem sabe, se cada qual mudar um pouco sobre como pensa e praticar, não podemos fazer isso? 😉

Além do mais, antes morrer tentando a viver desistindo!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

O Sono – o que é, como funciona e por que é tão importante

Provavelmente, você dorme cerca de seis a oito horas por dia (a não ser que faça parte do mesmo grupo que eu, que abdica algumas horas de descanso a fim de trabalhar mais :) ). Em outras palavras: um terço de sua vida você passa dormindo! Mas… por que o sono é tão importante em nossas vidas?

Descrição

Segundo a Wikipédia (e por meio de constatações bastante óbvias), o sono é um estado de consciência complementar ao estado de vigília, ou seja, que complementa em nosso organismo as atividades que desenvolvemos acordado, geralmente por meio do repouso bem merecido ao nosso corpo.

Nosso corpo precisa dormir a fim de:

  • Regularizar diversas funções, principalmente de manutenção;
  • Memorizar melhor importantes informações adquiridas ao longo do dia;
  • Nosso organismo realiza melhor o metabolismo dos alimentos, bem como mantém o apetite em equilíbrio;
  • Alguns hormônios importantes são produzidos mais durante o sono (na infância, por exemplo, cerca de 90% dos hormônios para crescimento são liberados durante o sono);
  • Reduzir a fadiga, stress, ansiedade e outros problemas de natureza psicológica;
  • Melhorar a imunidade e nosso corpo, pois durante o descanso interleucinas (substâncias que ajudam no combate a invasores) são liberadas;
  • Evita o envelhecimento precoce e formação de tumores, uma vez que as substâncias antioxidantes atuam mais facilmente sobre os radicais livres nesses momentos.

Durante o sono, a temperatura e pressão arterial caem levemente e os cinco sentidos são “desligados” na seguinte ordem: visão, paladar, olfato, audição e tato (ao acordar, eles são despertados em ordem inversa).

Como o sono funciona

O sono é dividido em dois principais estágios: o sono REM (Rapid Eyes Movement), que corresponde a 20% do sono, e o sono NREM (Non Rapid Eyes Movement).

O sono REM compreende o período em que ocorre movimentação rápida dos globos oculares (daí o nome) com intensa atividade cerebral, o que desencadeia a formação dos sonhos. E por falar em sonhos, se analisarmos estes, perceberemos que muitos dos mesmos são formados a partir de experiências vivenciadas no cotidiano ou aflições e problemas que enfrentamos.

Durante o sono REM os músculos ficam paralisados, as freqüências cardíaca e respiratória aumentam e a pressão arterial sobe. É neste momento que a maior parte das funções de memorização e organização das atividades cerebrais acontecem.

O sono antes e após o REM é o sono NREM, ou seja, um processo que ajuda a levar o corpo do estado de completa ou parcial vigília até o sono REM.

O sono NREM pode ser dividido em quatro fases e, indo da vigília até o sono REM, podemos descrevê-los como:

  • Primeira fase – trata-se do adormecimento. Pode durar de alguns instantes a alguns minutos. O cérebro começa a mudar suas atividades para um estado entre acordado e dormindo. Se acordado neste momento, o indivíduo alega que não estava dormindo;
  • Segunda fase – trata-se do sono mais leve. Temperatura, ritmos cardíaco e respiratório e freqüência das ondas cerebrais diminuem. A pessoa está começando a realmente adormecer;
  • Terceira fase – o corpo está entrando em um sono mais profundo. As ondas cerebrais são mais longas e lentas. O corpo está bastante relaxado. Em pouco tempo (cerca de dez minutos) nosso corpo passará para a próxima fase do sono;
  • Quarta fase – trata-se do sono profundo, que ajuda a recuperar o organismo do cansaço diário, produzir hormônios e recuperar células e órgãos. Neste momento, a pessoa está totalmente inconsciente e será muito difícil conseguir acordá-la.

Um ciclo completo do sono (NREM + REM) leva cerca de 90 minutos, podendo chegar a 120 minutos. Este ciclo é executado várias vezes e, a cada vez, menos tempo demoraremos no sono REM bem como na quarta fase do sono NREM, demonstrando que nosso organismo está sendo satisfeito quanto a essas necessidades.

Quantas horas de sono são necessárias?

Isso varia muito de acordo com cada indivíduo, entretanto especialistas apontam uma tabela contendo dados próximos da seguinte:

Tempo de vida Quantidade de horas
Primeiras semanas Cerca de 20 horas
Três primeiros meses Cerca de 18 horas
Até os três anos Mais de 10 horas
De 4 a 6 anos Cerca de 10 horas
De 7 a 8 anos Cerca de 9 horas
De 9 a 14 anos Cerca de 8 horas
De 15 a 16 anos Cerca de 7 horas
De 17 a 50 anos Cerca de 6 horas
51 anos ou mais Menos de 6 horas

A Fadiga

A fadiga é um sinal de que algo no nosso corpo não vai bem, por exemplo, o nosso sono. Talvez não estejamos dormindo o suficiente ou talvez o ambiente onde dormimos ou como nos alimentamos antes de ir dormir não esteja favorecendo o sono. Várias são as causas que podem levar nosso corpo a não descansar corretamente e, com isso, durante o nosso dia sentiremos os efeitos da fadiga.

Os primeiros sinais da fadiga são:

  • O bocejo prolongado e freqüente;
  • Ter o “olhar fixo” em algo, com dificuldade de movimentação normal dos olhos;
  • Distrair-se muito facilmente e de forma prolongada;
  • Não conseguir executar corretamente as tarefas, por mais simples que sejam.

O que pode prejudicar o sono

Cada indivíduo possui o seu “relógio biológico”, que indica quando dormir (você começa a sentir sono) bem como quando acordar (você começa a se despertar).

Entretanto, alguns problemas podem acontecer e impedir que o seu relógio biológico funcione corretamente. Alguns dos principais problemas são:

  • Possuir hábitos para dormir ou acordar diferentes, como é o caso de pessoas que “trocam o dia pela noite” ou que acordam muito cedo para efetuar suas tarefas. Neste caso, a melhor solução é reeducar seu organismo a dormir e acordar dentro de um melhor horário;
  • Problemas com fuso horário, que podem dificultar o sono, pois a pessoa estaria sentindo sono em um horário em que naquele lugar poderia ser fora do normal, o que dificultaria a execução de suas atividades bem como dormir. Pilotos, comissários de bordo e outros profissionais que trabalham muito com viagens sofrem com isso;
  • Trabalhos com turnos rotativos podem prejudicar o sono do indivíduo, uma vez que ele pode ser obrigado a ficar acordado em um turno em que geralmente ele deveria estar dormindo. Vigilantes, profissionais da área de segurança em geral e motoristas podem sofrer com esse problema.

É importante que essas pessoas procurem um horário mais ou menos fixo em que possam descansar a fim de reduzir os efeitos que as “noites mal dormidas” ou em horários diversos podem causar sobre o seu organismo.

Distúrbios mais comuns do sono

De acordo com as condições de sono, bem como do organismo do indivíduo, o mesmo pode estar exposto a problemas de saúde que podem ser desde pequenos incômodos a quem está por perto a graves problemas de saúde que podem pôr em risco sua vida.

Alguns dos principais distúrbios são:

  • Ronco – Devido à posição do palato mole e da úvula, a respiração durante o sono pode levar os mesmos a vibrarem, produzindo aquele som que todo mundo odeia – o ronco. Uma mudança de posição do corpo ou a elevação da cabeça podem ajudar a resolver esse tipo de problema;
  • Apnéia – Quando o ronco é bastante prolongado e sonoro, podemos ter um sinal de que talvez o palato, a úvula e o fundo da língua podem bloquear a passagem de ar para a faringe, o que pode levar a pessoa a ficar várias vezes durante a noite por um ou dois minutos sem respirar, o que não é nada bom!
  • Bruxismo – Por problemas nervosos ou dentais, muitas pessoas possuem o hábito de ranger os dentes. Exercícios diários a fim de mudar tal hábito, bem como o emprego de moldes plásticos que preservam os dentes e eliminam os ruídos podem ser usados;
  • Síndrome das pernas inquietas – a pessoa move bastante os membros inferiores (às vezes também os membros superiores) de forma inconsciente;
  • Parassonias – problemas decorrentes da ativação do sistema nervoso central mesmo durante o sono. Algumas delas são o despertar confusional, terror noturno e o sonambulismo;
  • Insônia – Por diversos motivos, o indivíduo não consegue dormir o número total de horas necessárias ou no período desejado. Você pode saber mais lendo nosso artigo Insônia – causas, conseqüências e tratamento.

Referências Bibliográficas Externas
ORTOBOM, Manual do Sono

WIKIPEDIA, Sono

CLÍNICA DO SONO, Clínica do Sono

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

SBGames – Terceiro Dia

E aqui estamos no terceiro (e infelizmente, último dia :( ) do SBGames. Hoje, tivemos a exposição de mais pôsteres das trilhas de computação e game & cultura, novas palestras e debates com a AbraGames.

Como sempre, tivemos a fast track onde cada autor de poster possui um minuto para falar sobre o seu trabalho. Quem lembrar de uma apresentação que começava falando de “Jack Baueeeeeer”, estará lembrando de minha apresentação. :) Os pôsteres estão muito bons: há trabalhos na área de educação, inteligência artificial, game design, storytelling, etc.

Sobre as palestras, tivemos hoje uma palestra comJohn Nordlinger (da Microsoft Research), que falou sobre o uso de jogos em educação de Ciência da Computação. Agora mesmo, estamos em meio à assembléia da AbraGames, onde muito está se discutindo sobre as iniciativas e propostas desta a fim de incentivar a indústria de jogos brasileira. Aliás, por falar nisso, foi comentado a respeito do Zeebo, o console de jogos nacional que será desenvolvido pela Tectoy.

Mais tarde, teremos uma discussão sobre a BR Games (a nova versão de uma iniciativa de investimento e financiamento para produção de jogos) e tantas outras coisas mais. É, o dia promete! :)

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Celular – Convergência Tecnológica e Cultural ao seu Alcance

Que horas são? Se para responder esta pergunta, você levou a mão ao bolso e pegou o celular em vez de olhar para o pulso e consultar em um relógio, parabéns: você faz parte da “pequena” gigante fatia da qual fazem parte todos os usuários de dispositivos móveis.

Enquanto dispositivo para fins somente de comunicação à distância, com design antiquado, tarifas absurdas e péssimo sinal, o celular passou despercebido por muitos de nós. No Brasil, o “boom!” ocorreu simultaneamente à privatização de operadoras telefônicas e um processo de reestruturação que acabou por tornar o celular não mais somente uma ferramenta, mas sim um dispositivo onde convergem diversos fins e mídias.

Já parou para contar quantas coisas diferentes seu celular pode fazer? Vamos conferir algumas (certo, certo… não posso garantir que todas elas estão disponíveis no seu modelo de celular, mas estão presentes no celular de alguém!):

  • Relógio, cronômetro, despertador e agenda;
  • Câmera para fotografias e vídeos, gravador de áudio, reprodutor de MP3, midi, wav, etc;
  • Comunicação por meio de ligações telefônicas, áudio-conferência, vídeo-conferência, SMS, MMS, etc;
  • Calculadora, Plataforma para jogos e diversas aplicações, que permitem até comunicar-se com outros celulares via blue tooth;
  • Bloco de anotações, processador de textos (principalmente se você optou por um smart phone em vez de um celular), leitor de documentos e apresentações;
  • “Porta-arquivos” digital, ou “pen drive”, se assim preferir chamar, (desde que possua ao menos 16 mb de espaço, caso contrário, pode ficar muito difícil para manter vários arquivos nele);
  • Rádio FM e TV Digital.

A quantidade de recursos disponíveis nos celulares não é somente resultado da convergência tecnológica, mas também da “convergência cultural”, que exige mais recursos em um dispositivo facilmente transportável, ergonômico e que possa ser personalizado ao máximo, refletindo assim as preferências do usuário.

Assim, nossos celulares deixaram de armazenar somente nomes e telefones como uma agenda eletrônica e passaram a permitir diversas funções como as apresentadas anteriormente. Se não estiver satisfeito com as funções existentes, basta adquirir uma nova aplicação, jogo, papel de parede, mp3 (sim, as ringtones monotônicas estão cedendo lugar a um formato de arquivo de áudio popularizado pela Internet), etc.

E seu papel não termina aí, pois os dispositivos móveis atuam também como meios de socialização : graças às novas vantagens da “Era quase 3G” (como sempre, o Brasil é um dos últimos a modernizar-se), podemos enviar uma imagem, áudio ou vídeo de algum acontecimento que vivenciamos para outras pessoas (na verdade, por meio de aplicações que enviem tais dados para a Internet, nossa “voz” pode ser ouvida ainda mais longe).

Antes, devido aos altos custos, o celular era empregado somente em negócios e outras “áreas sérias” de grande importância. Hoje, o celular é usado até mesmo por crianças e jovens, (quase) independente de condições financeiras de suas famílias.

Entretenimento, socialização, publicidade e informação em geral. Estas são somente algumas das novas formas de utilizar este novo equipamento que causou em nossas vidas uma revolução tão grande que somente pode ser comparada com aquelas provocadas pelo surgimento da televisão e disseminação da Internet.

Do sucesso dos celulares, derivou o impulso necessário para maior divulgação e venda de palms e smart phones. Hoje as capacidades e finalidades de celulares, palms e smart phones já se confundem bastante, uma vez que estes têm convergido também quanto ao seu emprego e comunicabilidade.

Como sempre, o sucesso estrondoso de algo é acompanhado por diversos especialistas (e alguns curiosos) que começam a formar opiniões sobre quais tendências serão perceptíveis em breve. Maior miniaturização dos componentes, melhoria do poder de processamento e armazenamento, maior número de recursos, capacidade de personalização ainda maior e maior emprego dele em outras áreas (educação, por exemplo) é algo já esperado.

Alguns especialistas arriscam-se um pouco mais e trazem teorias no mínimo criativas, como o possível implante de componentes para comunicação tão reduzidos e “ergonomicamente aceitos” que teríamos uma experiência próxima da “telepatia” por meio da tecnologia.

Bem, como por enquanto não me agrada a idéia de ter minha cabeça invadida por um “Nokia-X Brain C6200”, acredito que esta já é uma época áurea para os dispositivos móveis.

Além do mais, se introduzirmos os celulares em nossas cabeças, nós não poderíamos simplesmente dizer que esquecemos o celular em casa, não é?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Aquecimento Global – Quais as conseqüências?

Não importa se você é ativista ou não, a preocupação com o meio ambiente deve ser uma constante na vida de todos: sem ele, nós também deixamos de existir! Algum tempo atrás, nós discutimos aqui sobre aquecimento global, geleiras e sobrevivência humana. Desta vez, que tal irmos um passo além e imaginarmos o que acontecerá com o mundo se o aquecimento global não for controlado?

Adeus geleiras, olá aumento do nível dos oceanos
Um primeiro problema possível de acontecer (e que começamos a discussão naquele artigo que supra-citei) é o derretimento das geleiras.
É comum alguns icebergs desprenderem-se, porém nos últimos anos, a freqüência de desprendimento bem como as dimensões são assustadoramente maiores.
Com esses icebergs afastando-se e derretendo-se, inicia o problema do nível dos mares, que irá subir.
Pode parecer bobagem o fato do nível dos oceanos subir ou não, mas já parou para imaginar quantas ilhas e cidades costeiras poderiam (e serão) simplemente engolidas pelo novo nível do mar?
Segundo a revista Galileu (uma das melhores revistas sobre ciência e tecnologia, em minha opinião), edição de março de 2007, até 2100 o nível do mar aumentará de 18 a 59 cm.
Se você mora em Brasília, uma cidade bem longe da costa brasileira, pode não saber o que isso significa, mas… e para mim, que moro em Aracaju, capital costeira???
Com certeza, aquecimento global não é bem vindo aqui em casa.

Mudanças climáticas severas
O aquecimento global, como é de esperar, levará a uma maior movimentação das camadas de ar presentes na atmosfera. Não falamos aqui somente da formação de brisas e correntes marítimas, falamos também da formação de furacões, tufões e ciclones.
Esse fenômeno poderá ocorrer principalmente nas regiões tropicais, onde as temperaturas são geralmente mais altas que em outras regiões.
No Brasil, outros indícios de que algo já está errado são as notícias sobre cidades do Sudeste recebendo chuvas em um nível bem maior que o costumeiro, ao mesmo tempo em que muitas cidades do Nordeste enfrentarão períodos de seca cada vez mais duradouros e alarmantes.

Mais animais entrando em extinção
Bem, vamos analisar a situação: se o nível do mar subiu, obviamente que espécies selvagens que vivem nas costas ou em áreas glaciais podem e sofrerão primeiro as conseqüências.
Sem possuírem um habitat adequado para sua sobrevivência, muitas espécies morrerão ou tentarão adaptar-se para a nova situação.
O problema maior nisso tudo é que pode levar a um efeito dominó, causando grandes desequilíbrios ambientais.

Problemas nas reservas florestais e vegetação em geral
Como todos sabemos, água é vida – inclusive para as plantas e árvores.
Com o aquecimento global, podemos ter grande redução de chuva em várias áreas, dificultando assim o desenvolvimento de vegetais.
A Amazônia como conhecemos, por exemplo, poderá passar por um processo de desertificação, bem como a ocorrência de incêndios no mesmo será muito maior.

Intensificação de conflitos sociais
Em algumas cidades (ou mesmo países) da África e da Ásia será perceptível o agravamento dos conflitos sociais que já existem, bem como o surgimento de outros.
Pode parecer exagero para alguns, mas em áreas onde a desigualdade social é muito alta até a água pode ser tratada como um “recurso para poucos”, um elemento estratégico para ataques bem como um bem a ser protegido.

Redução das reservas de água potável do mundo
Com o aquecimento global, as geleiras derretem e lagos, rios e açudes podem começar a ter suas águas evaporadas.
Estas são algumas de nossas fontes de água potável e, devido ao super-aquecimento, poderemos perdê-las. Você já imaginou como seria a vida em nosso planeta se reduzíssemos a quantidade de água encanada para um quinto e somente um terço da água que consumíssemos fosse realmente apropriada para o consumo?

O corpo humano mais vulnerável a doenças
Se fizer uma boa reflexão sobre tudo o que comentamos, perceberá que nossos organismos estarão ainda mais propensos a problemas de saúde, principalmente devido ao calor (a temperatura subirá de 1 a 6ºC em cerca de cem anos) e à forte desidratação (já que teríamos menos água potável) que seria comum entre nós.
Várias vitaminas são hidrossolúveis (solúveis em água), então sua absorção seria dificultada, o que nos tornaria mais propensos a várias infecções.

Bem, poderíamos nos estender e procurar tantas outras conseqüências, mas acredito que “somente” estas já são suficientes para que tomemos um pouco mais de consciência sobre a importância de combatermos o aquecimento global.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS