Archive for Resenhas e Análises Críticas

Você sabe administrar seu tempo?

“Estou sem tempo”. “Não deu tempo para fazer isso”. “Ah, se eu tivesse mais tempo para isso”. Estas são apenas algumas das frases que inúmeras pessoas não cansam de repetir, seja para si mesmas, seja para outras pessoas. O fato de não saberem administrar mehor seu tempo acaba por prejudicá-las muito mais do que podem imaginar!

Só para começo de conversa, vou lembrar aqui algo que um amigo meu me ensinou alguns anos atrás: não existe falta de tempo, o que existe são prioridades. Isto é, o tempo é igual para cada um de nós: pelo que me consta, até a última vez em que eu tive um relógio, o mesmo me dizia que todos os dias possuíam 24 horas… Sempre! E se o tempo é igual para todos, por que para algumas pessoas ele parece ser “mais longo” do que para outras?

Você não pode “aumentar o seu dia”, mas pode aproveitá-lo melhor

Encontro sempre pessoas a dizer que estão muito ocupadas, que não possuem tempo suficiente para fazerem tudo o que desejam, como seria bom um dia de 30 horas e por aí segue o “muro das lamentações”. A Terra gira igual para todos nós, o que faz com que tenhamos o mesmo tempo para todos e como ninguém vai dar uma “freada” na Terra para ela girar mais lentamente (até porque isso teria graves consequências ambientais), então é melhor nos acostumarmos com o dia de 24 horas.

Entretanto, se você souber aproveitar muito bem essas 24 horas diárias, tenha certeza de que poderá ter um melhor desempenho em suas tarefas e ainda conseguir descansar um pouco mais! Anteriormente, escrevemos um artigo chamado Administre melhor o seu tempo, onde descrevi alguns dos mais eficientes conselhos para não desperdiçar seu tempo, de tal forma que não irei reescrever todo o seu conteúdo aqui – seria perda de tempo, e nós estamos evitando isso aqui, não?

Bem resumidamente, duas são as principais ações a serem tomadas: eliminar todas as distrações e planejar-se antecipadamente. A estas duas grandes lições, tenho outras duas que venho pondo em prática e que em muito complementam as anteriores: evite a “overdose de informação” e não tente ser “multitarefa”.

Evitando a overdose de informação

Lendo “Four Hour Work Week” de Tim Ferris, aprendi que a overdose de informação, isto é, a absorção excessiva e desnecessária de informação, pode ser muito mais prejudicial do que a falta de informação!

Quem nunca passou horas e horas na Internet, navegando a esmo, lendo milhares de sites que não acrescentaram valor algum à sua vida? Quem nunca ficou na frente da televisão assistindo incontáveis programas quando deveria estar fazendo um trabalho ou estudando algo?

Além do prejuízo do tempo, a overdose de informação também pode ser prejudicial para a tomada de decisões e execução de ações – após um determinado nível de absorção de alguma informação, continuar a absorvê-la mais e mais não ajudará muito. Pense no exemplo de alguém que quer aprender a tocar violão e em vez de procurar uma ou duas apostilas, lê-las e começar a treinar, acaba por visitar inúmeros sites, lendo diversas cifras, baixando um monte de apostilas e, perdido em tudo isso, acaba por não começar a treinar.

Periodicamente eu me imponho a praticar a “dieta de baixa informação”, que nada mais é que evitar o contato com toda e qualquer fonte de informação desnecessária. Geralmente pratico por uma semana e depois volto à rotina normal e durante o tempo em que estou “em dieta” o tempo me parece sobrar bastante!

Não somos “multitarefa”!

Um outro problema que encontramos quando queremos melhor aproveitar nosso tempo é tentar ser multitarefa, isto é, hábil a executar mais de uma tarefa ao mesmo tempo.

Podemos ler aquele livro para a prova de matemática, enquanto assistimos ao jornal já que será importante para a redação e jantamos ao mesmo tempo. Ah, sem contar que, por vezes, fazemos tudo isso pendurados em um telefone ou celular!

Apesar de parecer que se está fazendo muitas coisas ao mesmo tempo, na verdade, está a prejudicar-se ainda mais! Segundo alguns autores, como Tim Ferris, o ser humano leva em torno de 15 minutos para mudar de uma tarefa para outra e conseguir focar na mesma. Então imagine que você precisa cumprir duas tarefas A e B e que, no meio da tarefa A, você interrompe e começa a cuidar da tarefa B. Com isto, cerca de 15 minutos de sua atenção serão desperdiçados. Contabilizando assim o tempo paraa ir de A até B e retornar com o cumprimento total da tarefa, perderemos ao menos 30 minutos somente nisto!

Administrar melhor seu tempo não é uma tarefa fácil, mas não é impossível. Trata-se de um exercício diário, um desafio onde buscamos aproveitar nosso tempo cada vez mais e melhor! E para você, amigo leitor, qual a sua opinião a respeito do assunto?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Marketing de Serviços – Para pessoas que odeiam vender (primeiras impressões)


Marketing de Serviços – este é o título do novo livro que estou lendo. Mas o que me chamou a atenção foi o seu subtítulo: “para pessoas que odeiam vender”. Logo pensei: como será que funciona o marketing para pessoas que odeiam vender?

Marketing de serviços para pessoas que odeiam vender

Bem, eu tenho meus serviços também, então nada melhor que eu leia um pouco sobre o marketing de serviços, não?

Marketing como algo positivo

Um ponto forte do livro: ele começa por romper aquele pensamento errado que muitas vezes temos de marketing, como sinônimo de “propaganda enganosa”. Marketing trata-se de qualquer esforço a fim de alcançar uma venda ou prestação de serviço.

Fácil de entender, fácil de praticar, fácil de gostar!

Devo admitir que, até o ponto em que fiz minha leitura (estou na página 50 agora, o livro possui 244 páginas de “capítulos”, mais 60 páginas de apêndice), tenho gostado bastante do livro: é fácil sua compreensão bem como a execução dos exercícios que ele propõe ao longo do mesmo.

O livro traz diversos conceitos da área de marketing, mas os discute de forma bastante simplificada a fim de tornar fácil para qualquer leigo compreender do que se trata, como aplicar e que resultados se pode esperar.

As atividades que o livro aponta são outro ponto positivo para ele: geralmente não levam mais que alguns minutos em sua leitura, reflexão e execução, e, como o próprio autor diz (já ia me esquecendo, o autor é Rick Crandall), é possível conseguir alguns resultados significativos só com a aplicação (de forma séria) desses exercícios.

Marketing de serviços para pessoas que QUEREM vender

Apesar do título citar “odeiam vender”, a verdade é que quem odeia vender não vai conseguir sobreviver muito tempo nesse meio. VOCÊ deve QUERER vender seu produto/serviço, se realmente quiser ter algum sucesso.

E se você quer vender, pode ter certeza que este livro pode ajudá-lo de forma descomplicada a conquistar números de vendas mais altos.

Os quatro P’s do marketing

O autor apresenta também os quatro P’s, isto é, quatro fatores importantes para o bom marketing. Achei interessante pois já tinha visto esses mesmos quatro itens em um outro livro, sobre técnicas de vendas, publicado pelo SEBRAE, se bem me lembro.

Bem, os quatro fatores são:

  • Produto;
  • Ponto de distribuição;
  • Preço;
  • Promoção.

Como se pode observar, esses quatro itens são essenciais e estão presentes em qualquer negociação (no caso de prestação de serviços, o produto será o seu serviço), logo não se pode descuidar de nenhum deles!

Bem, meu próximo passo agora é concluir a leitura deste livro, complementar com outras fontes e, mais tarde, trazer aqui mais um bom artigo, quem sabe, sobre marketing de serviços. 😉

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Os Segredos da Mente Milionária – Análise Crítica

Se você quer atingir a sua independência financeira, mesmo que isso não signifique tornar-se um milionário ou um bilionário, este livro deveria estar em sua lista de “leituras obrigatórias” (a must have, como é dito isso em inglês). O que o autor propõe, se bem observado e compreendido, trata-se de uma tranformação completa da forma de pensar e agir do indivíduo a fim de que possa atingir o seu potencial máximo.

Capa de Os Segredos da Mente Milionária
Clique aqui para saber como adquiri-lo

O que já falamos aqui?

Aqueles que acompanham regularmente o nosso blog devem lembrar-se que já escrevi dois outros artigos que considero essenciais para a boa compreensão e complementação do que falarei agora. Os tais artigos são:

Como se divide o livro

Conforme mencionei em “Os Segredos da mente milionária – primeiras impressões”, este livro faz um excelente trabalho apresentando o nosso modelo mental de dinheiro, como ele funciona, porque ele pode estar “funcionando errado” e como “consertá-lo” (reprogramação mental seria a melhor definição aqui, acredito).

Como comentei com várias pessoas sobre esse livro, a primeira parte dele é tão boa (essa em que fala sobre o modelo mental), que só ela já vale o investimento. Na verdade, você pode aplicar aquilo que ele fala em qualquer outra área, o que levou-me a refletir sobre meu modelo mental de relacionamentos sociais, profissional, educacional, etc. E, aos poucos, vou reajustando eles e vendo como está ficando o “novo todo”, isto é, o meu novo “eu”.

Mas o autor não se limita a falar sobre o funcionamento do modelo mental e traz seus 17 arquivos de riqueza, idéias que devem ser refletidas, assimiladas e colocadas em prática.

A fórmula de sucesso do autor

A fórmula de sucesso do autor é, então, uma combinação de discussão teórica + declarações a serem feitas verbalmente + atividades a serem desenvolvidas pelo leitor. Ainda não consegui executar todas as atividades desse livro, mas as que executei deixaram-me ainda mais motivado e confiante de que alcançarei meus resultados, além de ter observado alguma melhoria em minha saúde financeira.

Levando-se em consideração o patrimônio de T. Harv Eker (que ele deixa claro no livro que não é nada pouco) e que este se trata do campo profissional dele, é de esperar que ele saiba (e bem) do que está falando.

Você pode estar se perguntando: mas você não comentou serem 17 arquivos de riqueza? Como conseguir aprender (ou memorizar) isso tudo tão rapidamente assim, sem perda na qualidade do que aprendi?

Simples, após sua primeira leitura, o autor pede-lhe que faça umas outras 12 (uma por mês) leituras durante um ano. Sendo assim, aos poucos o conhecimento será consolidado.

Dicas para estudar o livro

  • Encontre mais um colega que já tenha o livro ou esteja disposto a comprar (o ideal é que cada qual tenha o seu) e discutir sobre ele (isso mesmo, um grupo de estudo dirigido com uma bibliografia inicial bem razoável, não acha? :) ). Não é necessário o contato presencial! Então você pode fazer tal estudo com algum amigo de outro lugar pela Internet, por exemplo. Cito isso porque nem sempre é fácil conseguir outra pessoa que esteja com os mesmos ideais na cidade em que vivemos;
  • Depois disso, faça a leitura de cada parte (capítulo, arquivo de riqueza, etc.) e, ao final de cada qual, discuta com o seu amigo sobre o que o autor falou, o que concordam, o que discordam, o que acrescentariam, exemplos que conhecem de pessoas que se deram bem ou mal, como, quando e quais resultados conseguiram ao executar cada atividade, etc. Isso enriquecerá o seu aprendizado e condicionará melhor sua mente a aprender que “este é o caminho para o sucesso”;
  • Não tenha pressa para terminar todo o livro rápido, principalmente em sua primeira leitura, quando está formando suas primeiras idéias sobre ele. Curta o que está aprendendo, pense em como isso pode mudar a sua vida;
  • Baseado nas palavras do autor do livro, comece já o seu empreendimento, alguma forma de aumentar o capital inicial, e procure alcançar um bom rendimento passivo;
  • Ajude outras pessoas a compreenderem o nível de relevância do assunto abordado neste livro. Você ganhou a oportunidade de mudar de vida e nada mais justo que, agora, ajude outros a conseguirem isso também, não acha? 😉

Bem, espero agora sinceramente que vocês tenham gostado deste artigo. Se gostaram, então melhor ainda é adquirir o livro e começar a mudar a sua atual situação, ok? 😉

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Análise Crítica do Livro “Guia de Investimentos – Planejando a Poupança, Analisando o Risco”

Um bom dia a todos!

Há tempos que falamos sobre finanças aqui e volta e meia cito este livro, mas só ontem percebi que alguém poderia querer saber um pouco mais sobre minhas impressões deste livro, principalmente quem está interessado em poupar ou investir e gostaria de alguma literatura sobre o assunto, não?

Pois bem, lá vão minhas impressões! :)

No geral, eu adorei este livro: diferente de outros livros do gênero, ele não lhe promete torná-lo rico, pois sabe que isso depende de muito mais do que de uma dúzia de palavras – depende do mercado, depende das opções disponíveis, depende de você e depende também do quanto você está disposto a se arriscar!

Em vez disso, o livro foca naquilo que é realmente factível: o como e quanto poupar/investir segundo suas condições financeiras, tolerâncias a riscos e opções no mercado.

Gosto muito deste livro porque ele faz o leitor “botar o pé no chão” e analisar criteriosamente qual deve ser o seu caminho a seguir – eu decidi muito sobre como eu deveria prosseguir por meio de sua leitua (e releitura, feita há poucos meses atrás).

Eu adquiri a edição de 2003 no ano de 2006. Hoje, 2008, o livro ainda se encontra, para mim, muito atualizado. Pode não o ser para quem é economista e percebe as leves nuances entre conceitos e regras ao longo dos anos, mas para o propósito de uso geral, acredito que ele está em excelentes condições.

Recomendo a leitura deste livro principalmente para quem está começando na área, pois ele possui uma linguagem bastante simplificada e está cheio de exemplos para que você possa melhor compreender do que se trata cada coisa. Em contrapartida, uma pessoa que já possua mais experiência e espera um livro mais “seco, enxuto e direto” pode não gostar muito dele justamente por suas explicações.

Além disso, ele pode ser usado como referência para vários termos do mercado e alguns da área financeira.

Agora, se você está pensando em adquiri-lo a fim de saber como melhor investir em ações, acredito que é melhor você adquirir um livro focado nisso, pois por não ser o foco desta obra, ela fala sobre esse assunto de forma superficial, não se aprofundando em análises de variações e balanços a fim de melhor explicar como as coisas funcionam no mercado de ações.

No mais, se você está começando na área, esta é uma boa opção: nunca é interessante pular ou “queimar” etapas e acredito que esta obra apresenta os conceitos-base para que você possa começar a compreender várias coisas.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

A Arte da Guerra – De Sun Tzu (Resenha)

O livro “A Arte da Guerra – Por Uma Estratégia Perfeita” de Sun Tzu pode ser descrito não somente como uma máxima em estratégias de combate, mas também como especialista e orientadora em qualquer campo em que a vitória a ser conquistada se deve por meio do confronto com outros, e como nós sabemos, enfrentamos muitas competições em nosso dia-a-dia, tanto em nossos círculos profissionais como sociais.

A Arte da Guerra
Clique aqui para saber como adquiri-lo

Sun Tzu foi um grande general chinês do século IV a.C. e deixou como legado à humanidade o livro “A Arte da Guerra”, um verdadeiro tratado sobre as diversas formas de se obter êxito em empreendimentos arriscados.

O livro nos demonstra a necessidade de observar cinco fatores de extrema importância na guerra:

  • A influência moral – harmonia entre o povo e seus líderes;
  • Tempo – condições climáticas;
  • Terreno – conhecimento do terreno, distâncias e seu relevo;
  • Comando – o líder deve demonstrar sabedoria, sinceridade, humanidade, coragem e severidade;
  • Disciplina – respeito à hierarquia e às ordens.

Destaca-se também a importância de ações furtivas, rápidas e dissimuladas (fingir fraqueza quando forte, por exemplo).

Segundo o próprio autor a melhor coisa a se fazer antes de partir para a guerra é atacar a estratégia inimiga, romper suas alianças e por fim atacar o seu exército, evitando atacar as cidades.

“A Arte da Guerra” ensina como vencer o inimigo sem um confronto que leve à morte de grandes contingentes de tropas: inquietando o inimigo, usando agentes para obter informações inimigas e preparando emboscadas.

O livro dá ênfase também a como deve ser feita a ocupação do terreno e como reagir a cada tipo de terreno e distância em que se encontra o inimigo.

Por fim, o livro deixa a todos como recado a frase romana “si vis pacen parabellun” (se queres a paz, prepare-se para a guerra), que nos aponta a importância de sempre usarmos características competitivas mesmo que nosso objetivo não seja a eliminação ou supressão de um concorrente.

Bem, espero em um momento mais oportuno trazer aqui a análise crítica do livro, ok? 😉

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS